fbpx
Ligue: (51) 3662.2002 ou (51) 3664.2035

É comum, quando falamos sobre fisioterapia, que associemos a atuação desta profissão apenas a reabilitação de pacientes que sofreram lesões nas áreas de traumato e ortopedia. Entretanto, a sua abrangência vai muito além, englobando uma área de grande valor para a Cirurgia Plástica: a Fisioterapia Dermato Funcional.

Os pacientes que se submetem a um procedimento de Cirurgia Plástica buscam, além do resultado desejado, uma recuperação que seja rápida e confortável, de modo que possam retomar suas atividades de rotina o quanto antes. Apesar de considerarmos períodos de recuperação específicos para cada procedimento, é natural que cada paciente apresente também seu período específico de recuperação, o qual pode ser mais rápido e confortável para alguns e mais lento e desconfortável para outros.

Seguir à risca as recomendações do seu Cirurgião Plástico após a cirurgia, assim como o uso adequado das medicações prescritas, é um dos principais fatores para alcançar o melhor resultado possível e da forma mais rápida. Aliado a estes cuidados, entra o papel do fisioterapeuta dermato funcional, atuando de forma a acelerar a fase de recuperação e torná-la mais confortável. Inúmeras são as técnicas utilizadas por estes profissionais no período pós-operatório, variando conforme regiões operadas, tipo de cirurgia e características de cada paciente. Dessa forma, a abordagem do paciente neste período não se limita apenas a conhecida drenagem linfática para redução do edema (inchaço) das áreas operadas (muitas vezes, o edema é o menor dos problemas a ser tratado).

Os tecidos operados sofrem um trauma mecânico durante o procedimento cirúrgico e, por este motivo, utilizam-se também técnicas de terapia manual que reorganizam as estruturas destes tecidos, devolvendo sua flexibilidade e mobilidade, prevenindo/tratando fibroses (tecido de cicatrização endurecido nas áreas operadas) e aderências. Também são utilizadas técnicas para prevenção e tratamento de seroma (acúmulos de líquidos), hematoma (acúmulos de sangue), retrações cicatriciais (cicatrizes tensas), cicatrizes excessivas (hipertróficas e quelóides) entre outras.

Como o contato entre paciente e fisioterapeuta se torna muito frequente e próximo, este profissional acaba também sendo um grande aliado na educação do paciente quanto aos cuidados do dia-a-dia (como amplitude e força de movimentos, e posições mais adequadas para cada atividade), quanto a progressão gradual das atividades físicas, e quanto ao seguimento diário de cada recomendação. Para isso é extremamente importante o contato direto entre Cirurgião Plástico e Fisioterapeuta, visando a troca de informações e sugestões que contribuam para a melhor recuperação possível em cada situação.
É importante, ainda, sempre ser lembrado que o procedimento cirúrgico garante apenas uma parte do resultado da Cirurgia Plástica, e que para ser alcançado o melhor resultado final possível, é necessário um envolvimento total do paciente com os cuidados no pós-operatório. Dentro deste aspecto, contar com a presença de um Fisioterapeuta capacitado, envolvido na recuperação do paciente como um todo (e não apenas limitado à região operada) é de extrema importância para uma recuperação mais rápida e confortável e, consequentemente, para contribuir na busca do resultado desejado.

Por fim, é sempre válido lembrar da importância de buscar um profissional capacitado, com formação adequada para realizar o seu procedimento e tratamento: Cirurgia Plástica é com cirurgião plástico e reabilitação pós-operatória é com Fisioterapeuta!

Dr. Lourenço Santiago Senandes (CREMERS 33773 – RQE 28844)
Fisioterapeuta Tatiana Prado (CREFITO 5/154465-F)  

Deixe uma resposta