Ligue: (51) 3333.4140, (51) 3662.2002 ou (51) 3664.2035

Rinoplastia

Cirurgia estética e funcional do nariz

O nariz, por assumir um papel central e de destaque na face, e por estar sujeito a inúmeras variações naturais, inspirou o desenvolvimento de variadas técnicas em sua abordagem na cirurgia plástica com o objetivo de alcançar formas que sejam esteticamente belas e que estejam em harmonia com o restante da face. Aliada a finalidade estética, tem-se dado cada vez mais importância também à funcionalidade nasal. Inúmeras são as queixas que os pacientes podem apresentar em relação ao seu nariz e que podem ser tratadas cirurgicamente. Entre as queixas estéticas mais comuns, podemos citar como exemplo a presença de giba (“calombo”) no dorso nasal, dorso nasal largo, ponta caída, ponta globosa, narinas largas, laterorrinia (nariz “torto”), entre outras. Associadas com estas queixas, podem existir alterações funcionais, causando dificuldade para respirar pelo nariz, e que poderão também ser tratadas pela cirurgia quando houver indicação. A depender da queixa principal do paciente, da qualidade da função nasal e do seu histórico de doenças e cirurgias prévias, poderá ser indicada a rinoplastia aberta ou fechada.

A rinoplastia aberta leva este nome por apresentar uma incisão na porção externa do nariz (na região inferior da columela – parte do nariz que separa as duas narinas) que, no entanto, torna-se praticamente imperceptível com o tempo. Além desta incisão, temos ainda incisões escondidas por dentro das narinas e que, por este motivo, não são aparentes.

Já a rinoplastia fechada, utiliza-se apenas de incisões por dentro do nariz, sem apresentar cortes em sua parte externa.
Cada uma dessas vias de abordagem apresenta suas indicações e contraindicações específicas e que, portanto, irão variar entre os pacientes.
Importante lembrar que a cirurgia ser aberta ou fechada, diz respeito apenas a via de acesso para o restante do procedimento. Sendo assim o resultado final dependerá dos procedimentos indicados e realizados ao longo da cirurgia, e não apenas do tipo de incisão utilizada.

A cirurgia é realizada em ambiente hospitalar. Utiliza-se comumente anestesia geral ou local com sedação.
A recuperação no pós-operatório dependerá dos procedimentos realizados durante a cirurgia (como, por exemplo, a realização ou não de fratura nasal), no entanto tende a ser relativamente rápida, permitindo que o paciente retorne às suas atividades laborais em 1 semana em geral. Quando realizada fratura nasal, utiliza-se um curativo para estabilização da fratura (semelhante a um gesso) durante 1 semana. Atividades físicas devem ser evitadas por pelo menos 1 mês.